Caminhos para superar o racismo no esporte na contemporaneidade

O racismo no esporte são quaisquer práticas racistas, como xingamento ou sinais realizados tanto dentro de campo quanto na arquibancada durante os jogos.

A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija um texto dissertativo-argumentativo em modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema ‘‘Caminhos para superar o racismo no esporte na contemporaneidade’’, apresentando proposta de intervenção que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista. Não se esqueça: seu texto deve ter mais de 7 (sete) linhas e, no máximo, 30 linhas.

TEXTO 1:

Disponível em: http://globoesporte.globo.com/blogs/especial-blog/quatro-linhas/post/ate-quandoracismo.html

TEXTO 2:

Lideranças do movimento negro fazem ato para ressignificar o 13 de maio por Redação Manifestação neste sábado 11, em homenagem ao dia da abolição da escravatura, reforçará reinvindicações de políticas públicas para a população negra oprimida nas periferias A UNE-Afro Brasil, organização que promove cursinhos comunitários para jovens negros e pobres nas periferias da cidade de São Paulo, promove neste sábado 11 uma oficina de atualidades. Nela, se pretende discutir temas latentes acerca das questões educacionais e étnico-racionais no Brasil. O evento acontece em homenagem ao 13 de maio, dia da abolição da escravatura. "Buscamos ressignificar esse 13 de maio, não como o dia da abolição da escravatura, mas como um momento de reinvindicação e de denúncia pela abolição inacabada. Apesar do fim da escravidão, a cidadania continua a ser renegada ao povo negro", diz Douglas Belchior, do Conselho Geral – Uneafro.

Disponível em: https://www.cartacapital.com.br/politica/liderancas-do-movimento-negro-pretendem-ressignificar-o-13-de-maio/ (adaptado).

TEXTO 3:

Casos de racismo crescem no esporte brasileiro e atingem maior índice em cinco anos Observatório da Discriminação Racial registrou 47 casos no Brasil até novembro. Depois que foi chamado de "macaco" pelos irmãos Adrierre e Natan Siqueira da Silva e recebeu uma cusparada no rosto, o segurança Fábio Coutinho não queria contar para ninguém. (...) As dificuldades de Fábio estão mesmo inseridas em um contexto mais amplo: o aumento dos casos de injúria racial no esporte brasileiro em 2019. O Observatório da Discriminação Racial, entidade dedicada a pesquisar e discutir o tema, registrou 47 casos no País até novembro. O número representa um crescimento de 6,8% em relação ao ano passado, quando foram registradas 44 ocorrências. Os casos de 2019 representam a maior marca nos últimos cinco anos. "Um dos maiores erros é enxergar cada caso como uma novidade. Todos estão inseridos em um contexto que exige preocupação e atitude", explica Marcelo Carvalho, diretor executivo do Observatório.

Disponível em: https://www.mg.superesportes.com.br/app/noticias/futebol/futebol-nacional/2019/12/01/noticia_futebol_nacional,3487108/casos-de-racismo-crescem-no-esporte-brasileiro-e-atingem-maior-indice.shtml (adaptado).

TEXTO 4:

Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=B_p9SBcK0oQ

Não perca nada!

Insira seu e-mail no campo abaixo para receber conteúdos e dicas da redação do ENEM direto na sua caixa de mensagens. Não se preocupe, não fazemos spam!

Ainda dá tempo de se preparar para o ENEM!

Receba correções detalhadas da sua redação, estude com nosso curso exclusivo, acesse temas quentes (apostas para o ENEM 2020) e muito mais