Impactos das fake news na política
Fuvest

Impactos das fake news na política

Pratique para a prova da FUVEST com esse tema selecionado e prepare-se para o grande dia.

Impactos das fake news na política

Escrito por Prof. Raquel Lima

Atualizado em 27 de Dezembro de 2022

Considerando os textos de apoio abaixo e também outras informações que julgar pertinente, escreva uma dissertação em prosa na qual você exponha seu ponto de vista sobre o tema: impactos das fake news na política. Lembre-se que sua redação deve ser redigida com letra legível de acordo com a norma-padrão da língua portuguesa, com no mínimo 20 e no máximo 30 linhas. Dê um título ao seu texto.

TEXTO 1:

Disponível em: https://www.publishnews.com.br/materias/2018/10/19/os-passarinhos-fake-news

TEXTO 2:

A propagação de forma rápida e intensa das fake News através das mais diversas redes sociais constituem um fenômeno dos dias atuais, que o Brasil e diversos outros países vêm buscando criminalizar.

Até pouco tempo, as estratégias utilizadas no combate as notícias falsas ocorriam por meio de notas de esclarecimento, desmentidos, retratações e etc. Tais métodos sempre se mostraram pouco eficazes, dada a velocidade com as quais as fake News se espalham na rede mundial de computadores.

Na atualidade, a principal ferramenta de defesa do indivíduo/empresa/instituição etc., lesados pelas falsas notícias está sendo o Poder Judiciário, na busca pela reparação aos eventuais danos causados, sejam eles patrimoniais ou extrapatrimoniais bem como pela identificação dos responsáveis pelo dano.

As notícias falsas são pensadas e estruturadas para atingir alguns objetivos específicos: levar o leitor ao erro, fomentar boatos, deturpar uma informação verdadeira, atingir a honra de alvos públicos e a manipulação da massa visando alcançar determinados resultados.

Mensurar os danos causados à Instituições por essas notícias ainda é uma tarefa difícil, onde se faz necessária uma detida análise do caso específico. Contudo, inegável o fato de que essa prática começa a fragilizar muitos valores da nossa sociedade, inclusive chegando ao ponto de colocar o próprio cidadão contra a Constituição Federal e o Estado Democrático de Direito.

É alarmante o poder destrutivo das fake News! É de conhecimento mundial o escândalo envolvendo o Facebook e a Cambridge Analytica[3], no último pleito eleitoral norte-americano, onde milhares de usuários da rede social de Zuckerberg tiverem seus dados vazados para produção de conteúdo previamente elaborado com base em suas preferências pessoais.

Fato importante é que, nossos Tribunais Superiores vem se posicionando de maneira firme acerca dos crimes digitais, (exatamente, a criação e a divulgação de notícias falsas são crimes em nosso ordenamento Jurídico), principalmente no Superior Tribunal de Justiça.

Outrora, o jornalismo conseguiu aumentar sua tiragem com a edição de notícias sensacionalistas, que não chegavam a ser falsas, mas ganhavam “cores exageradas”, que distorciam a objetividade dos fatos. Hoje temos como divulgadores das notícias falsas o acesso democratizado às redes sociais, a descentralização na produção de conteúdo e o compartilhamento descompromissado, formado por uma imensidão de usuários que, muitas vezes por inocência ou ignorância acerca dos temas difundidos, não levam em conta se a fonte é fidedigna.

Disponível em: https://lfbussular.jusbrasil.com.br/artigos/577903609/o-impacto-das-fake-news-na-vida-em-sociedade (adaptado).

TEXTO 3:

A polarização política e a disseminação de notícias falsas (também conhecidas como fake news) vêm minando a confiança da sociedade nos veículos jornalísticos. Além disso, a produção de informação online vem sendo marcada pelo poder de plataformas (como Facebook e Google) e pela ampliação de serviços pagos, como os que exigem assinatura.

As conclusões estão no Relatório de Notícias Digitais 2019 (Digital News Report), elaborado pelo Instituto Reuters e divulgado ontem (12). O estudo é o mais amplo e notório sobre o mercado jornalístico e os hábitos de consumo de notícias dos usuários na Internet, realizado a partir de entrevistas com leitores em 38 países em seis continentes, entre eles o Brasil.

A radicalização da disputa política e a disseminação de desinformação apareceram como fenômenos importantes na divulgação de informação na web. O Brasil foi o país com maior preocupação manifestada sobre se uma notícia é verdadeira ou falsa: 85% dos entrevistados disseram ter esse receio.

Outros países com alto índice de preocupação foram Reino Unido (70%) e Estados Unidos (67%). Já entre nações europeias o índice foi menor, como na Alemanha (38%) e Holanda (31%). Frente a este cenário, 24% afirmaram ter deixado de ler notícias de veículos com reputação dúbia.

“A polarização política encorajou o crescimento de agendas partidárias online que juntamente com os caça-cliques e várias formas de desinformação estão ajudando a minar a confiança na mídia, levantando novas questões sobre como entregar reportagens equilibradas a justas na era digital”, analisou Nic Newman, um dos autores do estudo

Disponível em: https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2019-06/polarizacao-politica-e-fake-news-impactam-confianca-no-jornalismo (adaptado).

Apostila Gratuita coRedação

Não perca nada!

Insira seu e-mail no campo abaixo para receber conteúdos e dicas da redação do ENEM direto na sua caixa de mensagens. Não se preocupe, não fazemos spam!

Veja Mais

Fundo Gradiente

Conheça o método que garante 900+ na redação

Não dependa de modelos de redação prontos. Aprenda a escrever uma redação nota 1000 com o método que eu usei para ser aprovada na UFRJ.

Footer Logo

coRedação

Plataforma que te ensina a dominar as técnicas da redação do ENEM e chegar mais perto do 1000!

Ícone InstagramÍcone InstagramÍcone FacebookÍcone Pinterest
Últimos conteúdos

GRQTECH SISTEMAS DE INFORMACAO LTDA 33.841.042/0001-04