O crescimento do comércio virtual no Brasil
Temas quentes

O crescimento do comércio virtual no Brasil

Graças a tecnologia a internet, o comércio virtual cresceu no Brasil e no mundo. No entanto, cuidados são necessários nessa nova modalidade de consumo.

O crescimento do comércio virtual no Brasil

Escrito por Prof. Raquel Lima

Atualizado em 3 de Março de 2022

A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija um texto dissertativo-argumentativo em modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “O crescimento do comércio virtual no Brasil”, apresentando proposta de intervenção que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista. Não se esqueça: seu texto deve ter mais de 7 (sete) linhas e, no máximo, 30 linhas.

TEXTO 1:

Disponível em: https://blog.ideiamais.com.br/e-commerce-desafios-e-oportunidades/

TEXTO 2:

E-commerce brasileiro cresce 73,88% em 2020, revela índice MCC-ENET


O e-commerce segue em expansão no Brasil. No mês de dezembro de 2020, registraram alta de 53,83%, em relação ao mesmo período de 2019. O faturamento, considerando a mesma base comparativa, teve crescimento de 55,74%. Mesmo com uma boa evolução, as vendas registraram queda ao comparar dezembro de 2020 com o mês de novembro: (-27,16%). No acumulado do ano, por sua vez, fechou com índice positivo: 73,88%.

Os dados são do índice MCC-ENET, desenvolvido pelo Comitê de Métricas da Câmara Brasileira da Economia Digital (camara-e.net) em parceria com o Neotrust | Movimento Compre & Confie.“Mesmo com a flexibilização e abertura das lojas do varejo físico para um cenário mais semelhante ao observado antes da pandemia, os dados de dezembro comprovam que as compras online tornaram-se um hábito dos consumidores brasileiros. O forte crescimento das vendas de Natal ajudou para que o resultado consolidado do ano realmente fosse um sucesso para o setor”, afirma André Dias, coordenador do Comitê de Métricas da camara-e.net e Fundador do Neotrust | Compre & Confie.

Seguindo na métrica de vendas, ao observar os dados por região, na comparação entre dezembro de 2020 com o mesmo período de 2019, a composição ficou da seguinte forma: Nordeste (77,63%), Sul (66,22%), Sudeste (48,32%), Centro-Oeste (46,99%) e Norte (39,25%).

Os resultados do acumulado do ano foram: Nordeste (100,34%), Sul (79,22%), Norte (73,24%), Centro-Oeste (72,87%) e Sudeste (68,74%).

Disponível em: https://www.ecommercebrasil.com.br/noticias/e-commerce-brasileiro-cresce-dezembro/#:~:text=índice MCC-ENET-,E-commerce brasileiro cresce 73%2C88% em,2020%2C revela índice MCC-ENET&text=O e-commerce segue em,crescimento de 55%2C74%. (adaptado).

TEXTO 3:

Comércio eletrônico fatura R$ 75 bilhões no Brasil em 2019

O faturamento do comércio eletrônico atingiu R$ 75,1 bilhões em 2019, com uma alta nominal (sem considerar a inflação) de 22,7% em relação ao ano anterior, de acordo com dados do relatório NeoTrust. O estudo analisa o varejo digital por trimestre com base nos dados coletados pela empresa de inteligência de mercado Compre&Confie.

O volume de pedidos cresceu 22,5% em base anual, o que representa 178,5 milhões de compras. O tíquete médio ficou praticamente estável, com variação de 0,2%, para R$ 420,4. De acordo com o estudo, os dados apontam para o consumidor brasileiro comprando cada vez mais em 2020. A Compre&Confie estima que as compras on-line gerem faturamento de R$ 90,7 bilhões em 2020, crescimento de 21% em relação a 2019.

A expectativa é que o tíquete médio aumente 2%, chegando a R$ 430,00. O relatório destaca também o aumento de 40,6% de consumidores únicos no varejo digital, chegando a 31,4 milhões. Para a NeoTrust, isso significa que o brasileiro adquire cada vez mais familiaridade com o comércio eletrônico, “além de um sinal da retomada da economia”. A média de gasto total do consumidor foi de R$ 2.121 em 2019 comparado a R$ 1.914 um ano antes.

Mais mulheres

O público feminino respondeu por 52,1% dos pedidos, com tíquete médio de R$ 371,70 no ano passado, enquanto o masculino ficou com os 47,9% restantes e tíquete de R$ 473,60. A maior parte das vendas on-line partiu da região Sudeste (66,2%), embora o Nordeste tenha crescido acima da média do mercado, cerca de 26%. A fatia do Nordeste foi de 11,9%. “O ano de 2019 foi de forte recuperação para o varejo digital. Registramos diversos fatores que impulsionaram o crescimento, com destaque para consolidação do modelo de ‘marketplace’ (shopping virtual] no país, maior integração multicanal, além do aumento do número de consumidores que realizaram pelo menos uma compra online”, diz, no relatório, André Dias, diretor-executivo da Compre&Confie.

Na análise por faixa etária, os consumidores que têm entre 36 e 50 anos realizaram o maior volume de compras (33,6% do total dos pedidos feitos durante o ano). Na sequência, estão os que têm entre 26 e 35 anos, com 31,8% das compras. Por fim, estão os consumidores de até 25 anos (19,5%) e os com mais de 51 anos (15,1%).

Disponível em: https://g1.globo.com/economia/noticia/2020/02/13/comercio-eletronico-fatura-r-75-bilhoes-no-brasil-em-2019.ghtml (adaptado).

✍️

Partiu praticar?

Receba correções detalhadas em até 24 horas e aprenda a escrever redações sobre qualquer tema.

Apostila Gratuita coRedação

Não perca nada!

Insira seu e-mail no campo abaixo para receber conteúdos e dicas da redação do ENEM direto na sua caixa de mensagens. Não se preocupe, não fazemos spam!

Veja Mais

Fundo Gradiente

Escrever redação não precisa ser complicado

Não seja surpreendido pela sua nota e garanta a aprovação no vestibular neste ano sem perrengue

Footer Logo

coRedação

Plataforma que te ensina a dominar as técnicas da redação do ENEM e chegar mais perto do 1000!

Ícone InstagramÍcone FacebookÍcone Pinterest
Últimos conteúdos

GRQTECH SISTEMAS DE INFORMACAO LTDA 33.841.042/0001-04